LIGA DOS CAMPONESES POBRES É ALVO DE BOLSONARO

A Associação Brasileira dos Advogados do Povo Gabriel Pimenta – ABRAPO vem a público repudiar e denunciar o discurso de Bolsonaro, neste 1º de maio, na 86ª Expozebu em Uberaba MG.

Quem passa quase 30 anos, vivendo dos arqui-privilégios que um Deputado Federal ostenta, às custas das riquezas dos trabalhadores do Brasil, não tem qualquer moral para discursar no dia 1º de maio, dia que os Trabalhadores do Mundo celebram e relembram toda luta por direitos da classe trabalhadora.

Bolsonaro, em seu discurso, deixa claro que não irá expropriar propriedades dos criminosos que escravizam trabalhadores no campo, fomentando e estimulando o crime tipificado no art. 149 do Código Penal. Ademais, para quem já manifestou publicamente em defesa do torturador Brilhante Ustra, Bolsonaro fazer apologia ao trabalho escravo não nos surpreende.

Porém, desta vez, Bolsonaro vai além. Atiça toda sua horda fascista diretamente contra os camponeses da Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia, acusando esta organização de terroristas e criminosos, incitando e autorizando seus grupos de extrema-direita a atacar a LCP.

Os camponeses que lutam pelo direito à terra para nela trabalhar, sustentar suas famílias e levar alimento saudável para as Cidades não são terroristas e criminosos, são lutadores, famílias que sonham por dignidade e um pedaço de terra para plantar e comer!

Para ABRAPO terroristas é Bolsonaro e seu governo de militares, que de forma premeditada gerenciam o genocídio da COVID-19, ultrapassando as 420 mil vidas ceifadas. Terrorista é o Estado que promovem chacina, assassinatos e violações de direitos do povo, vide a chacina do Jacarezinho que oficialmente deixou 28 pessoas mortas, nefasto episódio onde o Estado dilacera as vidas do povo pobre e negro das favelas e periferias e seu sangue lava as ruas, becos e vielas. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública -RJ, nos primeiros 3 meses do ano foram 453 pessoas foram mortas pela polícia do Rio. São milhares pelo Brasil!

Bolsonaro, , participou de reunião com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, na tarde de quarta-feira (5 de maio). Menos de 12 horas depois, aconteceu o pior massacre da História em uma favela do Rio de Janeiro. Essa chacina no Jacarezinho faz parte de um conjunto de ações coordenadas bolsonaristas, no Rio, como em Rondônia, com  o apoio do Governador do Estado, e da força policial mais temida nas favelas, a CORE, da Polícia Civil, que, quando entra nas áreas populares é para chacinar, barbarizar.

Somente nos últimos meses é possível ver uma escalada nos crimes do latifúndio em Rondônia, crimes estes denunciados pela ABRAPO e pelo Jornal A Nova Democracia. Citemos alguns:

            Conforme noticiado no dia 07/05/2021 pelo Jornal A Nova Democracia, as fotos e vídeos, enviadas por camponeses, mostram Policiais Militares, fortemente armados, fazendo a segurança privada à serviço do latifúndio! Está claro para nós que os Governos Federal e do Estado de Rondônia mantém sua ilegal intimidação e cerco contra os camponeses do acampamento, em especial, pelo envio da Força Nacional para reprimir os camponeses do Manoel Ribeiro.

É fundamental que todas as entidades democráticas expressem seu repúdio e denuncie mais esta grave tentativa de criminalização de todo movimento que luta pela democratização da terra e defenda o direito do povo lutar por seus direitos!

ABAIXO A CRIMINALIZAÇÃO DA LIGA DOS CAMPONESES POBRES-RO!

O POVO TEM DIREITO DE LUTAR PELOS SEUS DIREITOS!

Associação Brasileira dos Advogados do Povo Gabriel Pimenta – ABRAPO

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.